quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Crônica: Primeiro dia de aula numa escola nova

Já passava da meia-noite quando ainda me vi rolando na cama, com um sentimento de ansiedade. Estava com sono, mas não conseguia dormir. Depois de muito tempo eu despertei com o disparar de um som que fazia-me tremer. Desliguei o despertador, virei para o lado e voltei a dormir, porém meu sono não durou muito, pois minha mãe já estava bem ao meu lado gritando: "Levanta, você vai se atrasar!". Levantei e me troquei com tanta cautela que os minutos dispararam.
O medo e o frio na barriga chegaram logo depois que passei pela porta de casa, a caminho da escola.
 A angústia do não querer quase me derrubava no caminho. Virei a esquina e lá estava ela: tão grande e, apesar disso, talvez não tão aterrorizante, no final das contas.
O sinal tocou. As pessoas ao meu redor no pátio eram tantas que eu nem sabia por onde ir. Entrei na sala de aula. Todos me olharam. Vontade de ir embora! Sentei-me. Mal pisquei os olhos e já estava conversando e fazendo novas amizades.
O alívio finalmente chegou e me dei conta de que sempre vai ser assim: o novo vem e o velho vai.
Cheguei em casa tão relaxada... venci mais um obstáculo! 
No fim, eu sempre soube... o primeiro dia de aula é sempre a mesma história...

Bárbara Calderan

2 comentários:

  1. Fim de férias! (Ahhhhh, estava tão bom!)
    Primeiro dia é hora de encontrar os amigos, rever professores, conhecer gente nova.
    A crônica acima fala exatamente disso: da "gente nova" que chega na escola nova e de toda ansiedade que isso pode trazer...

    ResponderExcluir
  2. eu gostei do conto :)
    aaah, volta as aulas é sempre assim. mas eu só vou começar na segunda IUSAUISUIASUIA.

    ResponderExcluir