domingo, 28 de agosto de 2011

Alunos do João Conceição Participam da UPA na FOP/Unicamp

Matheus dos Santos Pereira
  No dia 24 de agosto, a FOP (faculdade de odontologia de Piracicaba) abriu suas portas para receber alunos do ensino médio de piracicaba. A UPA (universidade de portas abertas) tem como objetivo proporcionar aos alunos o conhecimento de uma faculdade, especificamente a Odontologia, além de ajudar na escolha da futura profissão a ser seguida. Dentre as cinco escolas contempladas com o convite para participar do evento, esteve a escola João Conceição. Alguns dos alunos que visitaram a faculdade têm interesse em área de biomédicas, ou mesmo a odontologia.
  Todos foram recepcionados pelo Prof. Dr. Miguel Morano Júnior, que após um bate papo descontraído foram conduzidos pelo tour dentro da faculdade pelos alunos do PIC Jr. conhecendo algumas áreas como: anatomia, microbiologia, laboratório de pré-clínica, odontologia infantil, clínica de graduação e uma pequena apresentação da biblioteca.
  “Depois que saímos de lá, começamos a enxergar as coisas de outra forma, a UPA abriu meus horizontes quando o assunto é profissão”, afirma Mayara Trevizan, 15, aluna do João Conceição.
  Uma das áreas visitadas que mais chamou a atenção dos visitantes foi a anatomia, onde tiveram a oportunidade de ver alguns órgãos do corpo humano (pulmão, coração, fígado)  esqueletos de adulto e de uma criança e até mesmo fetos do 1° ao 9° mês de gestação. Tiveram também uma apresentação da história da faculdade em forma de vídeo, e uma pequena palestra sobre o profissional da área de odontologia.
Esperamos que todos tenham gostado muito da experiência, além de permitir que tenham mais certezhttp://a4.sphotos.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-ash4/300911_184324631640498_100001888878141_448319_4184216_n.jpga da área que pretendem seguir.

Estudantes do ensino médio do João Conceição

sábado, 27 de agosto de 2011

Eu...


...Vivo de música
E respiro poesia
Exalo o som
Recito vida
E leio sentimentos
Ressôo vontade
E assovio saudade
Recanto e encanto
Revivo e reescrevo
Só mais uma nota pra cantar
Como se faz um cantor de bar.

Eu sou som de água
E barulho de vento
Sou o frio no estômago
E o brilho dos olhos
Sou nota desafinada
E sou palavra cantada
Sou assim, um enigma.

Uma carta à mão
Requintada e elegante
Ou apenas uma palavra rabiscada
num papel de pão.
Sou sorriso de criança
Sou pedaço de esperança
Sou lição aprendida
E palavra reprimida.

Eu sou “muito mais”*
E assim “a ciência, a essência,
A poesia prevalece" *

Ana Eduarda. 2ª A.
*Trecho de “...” (Reticências) – O Teatro Mágico.

Foto por Nika Fadul

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Artigo de opinião: ORKUTIZAÇÃO

O termo “orkutização” normalmente é explicado como “a invasão das classes sociais menos favorecidas nas redes”. Tenho horror a ele, que demonstra preconceito e total desconhecimento da dinâmica da web. A expressão é uma bobagem tão grande que chego a sentir vergonha alheia quando vejo alguém repeti-la.
As redes não são separadas por classes sociais, mas pela demora na adesão a elas. Os early adopters, normalmente quem acompanha as novidades tecnológicas, sempre foram os pioneiros e não necessariamente mais ricos ou mais cultos. Com o Orkut foi assim, a mesma coisa com o Facebook e com o Twitter − pessoas menos ligadas à cultura digital chegam depois, mas não porque são incultas, burras ou pobres, e os “donos das redes” passam a ver novatos como intrusos.


Quando o Twitter e o Facebook nasceram, os early adopters estavam há tanto tempo no Orkut que migraram naturalmente, e não por causa dos “pobres” incomodando. Se o Twitter está começando a perder usuários da “casta”, é porque as pessoas enjoam, perdem o tesão. Afinal, qual é o sentido de reclamar da “invasão” numa rede na qual o usuário decide quem vai seguir? A mesma coisa com o Facebook: quem não quer “se misturar” e aproveitar o que há de melhor na internet, que é a diversidade cultural, não acrescente “gente diferenciada”.
Não dá para aceitar que se criem castas dentro de uma rede que nasceu para ser democrática, tudo junto e misturado. Ninguém publica sua renda na hora de preencher cadastros de redes sociais. E, muito cá entre nós, escrever mal ou ser mal-educado não tem nada a ver com classe social, e sim com a falta de leitura e o descaso com a cultura.
Sou muito mais conviver com pessoas bem informadas sobre o que acontece na sociedade, observando de tudo um pouco, num caldeirão gostoso, do que com os mesmos tipos, pensando e comentando os mesmos assuntos, repetindo palavras bobocas – tal qual orkutização – como papagaio. Perdoe aí, Louro José!



fonte: http://youpix.com.br/youpixpocketmag/orkutizacao/#.Tlfiqne07Xh.blogger





quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Estava querendo me mostrar de algum jeito. Não do jeito que você me viu, mas de um jeito meio que misterioso. Eu queria deixar de ser transparente! Queria não deixar tão claramente que você me visse por dentro. 
Dentro dos meus olhos você enxerga que dentro de mim ainda existe uma menina meio insegura de si mesma... que não consegue mais deixar de ser mulher.
Tudo tão confuso. Eu já aprendi que, na vida, nós temos um começo e um fim.

Adlu (9C)

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Visita à Pinacoteca de Piracicaba

Abaixo você confere um pouco do acervo (e da visita) dos alunos da escola (9D) à Pinacoteca. Se quiser conferir pessoalmente, acesse o site para obter informações sobre local e horários de funcionamento:



video
Gabriel Rodrigues

Fuvest, fiquem de olho!

Olá pessoal, alunos do 3º ano aí vai uma ajudinha. Aproveita pra passar no site da Fuvest, se inscrever e dar até uma visualizada lá.
Uma oportunidade que não deve ser perdida.

Essa aqui é nova: 2ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO PODERÁ PARTICIPAR DA FUVEST 2011 PELO PROGRAMA PASUSP.

Entra lá e dá uma conferida. (:


http://www.fuvest.br/index.html 


                                                          Ana Eduarda. 2ª A.

Terceirão na USP!

No último dia 05 de  agosto nós, alunos dos terceiros da manhã do JC, estivemos na Feira de Profissões da USP. Isso mesmo, pessoal!!!  Lá mesmo, na Cidade Universitária, em São Paulo!
Fomos acompanhados pela Profª Ana Maria e Prof. Malcílio. Na foto aí conosco!
Foi uma experiência incrível. Pudemos visitar vários estandes, cada um relativo a uma carreira profissional: Medicina, Engenharia (todas), Música,  Economia, e todas as outras mais tradicionais, mas também lá estavam os cursos novos  e bem badalados como Gestão Ambiental, Nutrição, Zoologia, Ciência da Computação, Engenharia Florestal, Geologia, Tecnologia da Informação, etc. Conversamos não só com alunos desses cursos da USP como também com professores de lá. Recolhemos muitas informações. Quem sabe, assim, poderemos fazer uma escolha mais consciente a respeito do nosso futuro! Valeu
!
                            
                                                                 3ºA e 3º B-turma 2011


terça-feira, 16 de agosto de 2011

As 11 Regras de Bill Gates.

Segundo uma das fontes: Bill Gates foi convidado por uma escola secundária para uma palestra. Chegou de helicóptero, tirou o papel do bolso onde havia escrito onze itens.
Leu tudo em menos de 5 minutos, foi aplaudido por mais de 10 minutos sem parar, agradeceu e foi embora em seu helicóptero.
Sendo boataria de internet ou não (só 5 minutos? uia), achei interessante postar aqui as famosas regras.

1 - A vida não é fácil — acostume-se com isso.

2 - O mundo não está preocupado com a sua auto-estima. O mundo espera que você faça alguma coisa útil por ele ANTES de sentir-se bem com você mesmo.

3 - Você não ganhará R$20.000 por mês assim que sair da escola. Você não será vice-presidente de uma empresa com carro e telefone à disposição antes que você tenha conseguido comprar seu próprio carro e telefone.

4 - Se você acha seu professor rude, espere até ter um chefe. Ele não terá pena de você.

5 - Vender jornal velho ou trabalhar durante as férias não está abaixo da sua posição social. Seus avós têm uma palavra diferente para isso: eles chamam de oportunidade.

6 - Se você fracassar, não é culpa de seus pais. Então não lamente seus erros, aprenda com eles.

7 - Antes de você nascer, seus pais não eram tão críticos como agora. Eles só ficaram assim por pagar as suas contas, lavar suas roupas e ouvir você dizer que eles são “ridículos”. Então antes de salvar o planeta para a próxima geração querendo consertar os erros da geração dos seus pais, tente limpar seu próprio quarto.

8 - Sua escola pode ter eliminado a distinção entre vencedores e perdedores, mas a vida não é assim. Em algumas escolas você não repete mais de ano e tem quantas chances precisar até acertar. Isto não se parece com absolutamente NADA na vida real. Se pisar na bola, está despedido… RUA!!! Faça certo da primeira vez!

9 - A vida não é dividida em semestres. Você não terá sempre os verões livres e é pouco provável que outros empregados o ajudem a cumprir suas tarefas no fim de cada período.

10 - Televisão NÃO é vida real. Na vida real, as pessoas têm que deixar o barzinho ou a boate e ir trabalhar.

11 - Seja legal com os NERDS. Existe uma grande probabilidade de você vir a trabalhar PARA um deles.

                                                                      Ana Eduarda. 2ª A.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Resenha: Samba Para Dom Casmurro.

Quem porvavelmente leu a obra machadiana "Dom Casmurro" ou assistiu a microssérie "Capitu", dirigida por Luis Fernando Carvalho vai provavelmente gostar dessa música encantadora. Ela foi composta por Letícia Persiles (A Capitu jovem, na microssérie, que tem uma banda chamada Manacá) e por Michel Melamed (O Dom Casmurro na série.)
A música e a banda tem um estilo próprio, pura cultura! O vídeo não tem muita qualidade, mas vale à pena conferir.


LETRA: 



Pedra,com as unhas da espera
Seu cume cego afia-se no céu
Cercado pelas curvas da cidade
Aguardando sua passagem, pedra
Uma esfera arranha seu chapéu
Pedra, invadindo a sua imagem
seu colar de páginas
Na fila das setas secretas arrebenta com a miragem
Pedra soterrando a revoada perpétua
Revoada perpetua!
Revoada perpetua!
Revoada perpetua!

Pedra, não quero cantar contigo.
"Eu sempre achei que o amor,
Que o grande amor, fosse incondicinal.
Que quando duas pessoas se encontram, que quando esse grande encontro acontece, você pode trair, brochar, dar todas as porradas, se for um grande o amor, ele voltará triunfal.
Sempre!
Mas não, nenhum amor é incondicional.
Então acreditar na incondicionalidade do amor, é decididamente precipitar o fim do amor, porque você acha que esse amor aguenta tudo, então de um jeito ou de outro você acaba fazendo esse amor passar por tudo, e um amor não aguenta tudo, nada nesse vida é assim!
E aí você fala que esse amor não tem fim, para que o fim então comece.
Um grande amor não é possível,
talvez por isso seja grande.
Então, assim, nele, obrigatoriamente, pode caber também o impossível.
Mas quem acredita?
Quem acredita no impossível, que não apaixonadamente?
Como a um deus, incondicionalmente."
O mar quebra nas pedras. E as pedras requebram no mar.

                                                                                           Ana Eduarda. 2ª A

Filme Nacional - Desenrola!




O filme Desenrola conta a história da românica Priscila, uma típica menina de 16 anos, que se vê pela primeira vez sozinha em casa por causa de uma viagem a trabalho da mãe. E durante estes 20 dias sozinha em casa, muita coisa acontece com a moça, desde a primeira transa, aventuras em um acampamento e o primeiro amor! O longa traz aquele clima gostoso de verão e de férias temperado por uma confusão de hormônios, sentimentos, expectativas quando tudo rola… e Desenrola. O filme mostra como é a vida dos adolescentes, como se sentem, agem na idade em que estão, o que pensam a respeito da vida, sexo, drogas, desenrola vai retratar a adolescencia de uma maneira que possa mostrar ao mundo o que eles passam de verdade, como vivem, etc.

 Trailer do filme:
video


Maressa da Cruz Ribeiro 2ºA

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Resenha: Laços (Ties)

O curta dirigido por Flávia Lacerda e estrelado por Clarice Falcão (ou Clarice, como prefere ser chamada) juntamente com o parceiro Célio Porto, foi primeiro colocado do concurso Project Direct 2007 do YouTube. Teve também a ajuda da mãe de Clarice, a diretora e roteirista Adriana Falcão. Mas a produção ficou por conta da menina, que, com apenas 18 anos fez um maravilhoso trabalho.

Ela não só atuou no curta como também compôs a musica principal da trilha sonora. Foi com um baixo custo, uma câmera digital, um roteiro simples -- porém tocante – que o curta Laços (Ties) abateu vários outros concorrentes do mundo todo.  

A história é emocionante e não vale a pena ser lida e sim vista. Bom vídeo a todos.


P.S.  E quem gostar da música, só me procurar. 
                          
                                 Ana Eduarda. 2ª A

Resenha do livro: Garota Infernal
  Baseado no roteiro de Diablo Cody

  O livro baseado no filme homônimo conta a história de duas amigas: Jennifer – uma popular líder de torcida- e Needy – uma nerd. Ao irem a show de rock, Jennifer é submetida a um ritual pela banda que esperava aumentar sua popularidade, mas alguma coisa dá errada e a líder de torcida é possuída por um demônio. Após este incidente Jennifer começa a seduzir garotos de sua escola para comê-los como refeição. Neste meio de conflitos Needy passa a ter como objetivo impedir a amiga de devorar os rapazes do colégio e principalmente o seu namorado (desejado por Jennifer ardentemente).
Apesar de ser um livro pequeno e simples possui um conteúdo interessante, prende a atenção do começo ao fim e não peca em nenhum aspecto aparente. Os momentos de grande tensão entre as personagens dão o ponto alto da história, sem contar as cenas de terror e violência que trazem à tona sensações diversas – do desagrado à vibração – sobre a nossa imaginação.

Vitória Carone  8º D


Se quiser dar uma olhada no filme, vale também a pedida. Confira o trailer: 


 

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Resenha: A droga da obediência


 
O livro de Pedro Bandeira conta a história de um grupo de adolescentes do Colégio Elite, que se denominam “Os Karas”. O início do livro, os alunos, Miguel (o líder do grupo e presidente do Grêmio estudantil do Colégio Elite), Calú (o ator principal do colégio), Magri (a melhor atleta) e Crânio (o Campeão de xadrez e o mais inteligente do grupo), tentam desvendar o mistério do desaparecimento de jovens que está acontecendo em todas as escolas de São Paulo. Ao longo da história o grupo ganha mais um membro, pois o aluno Chumbinho descobre os segredos da existência desse grupo e os chantageiam pra o deixarem fazer parte da equipe, em troca ele manteria o segredo da existência dos Karas. 
   Um grupo de bandidos que é controlado pelo malvado Doutor Q.I., tenta controlar o mundo com uma droga capaz de controlar absolutamente a pessoa que a ingerir. Mas os Karas desvendam o mistério, principalmente com a ajuda de Chumbinho que, conscientemente deixa-se ser seqüestrado pelos bandidos, assim ele manda as informações que descobre para os Karas (da maneira que pode), e prendem o Doutor Q.I., com a ajuda da policia.
   O livro “A Droga da Obediência” é um dos melhor da série, pois é formado de mistério policial e um pouco de suspense. Não é aqueles livros que começam chatos e ao longo da história vai mostrado o seu valor. Pelo contrário, o livro já começa com a entrada de Chumbinho ao grupo dos Karas e logo após o desaparecimento dele. Isso já prende o leitor e, ao decorrer da leitura vai o “acorrentando” ainda mais, pois, como todo mistério, pensamos apenas em lê-lo mais rápido para descobrirmos o final da história e falar “Eu já imaginava isso...” ou “Eu já sabia...” não é?
  O livro é excelente, igual à série, pois é como se fosse uma espécie de Sherlock Holmes e seus casos, só que com a diferença de um ser Infanto-Juvenil e o outro um livro mais para adultos, mas o gênero e o modo de como os mistérios são desvendados são muito parecidos, pois ambos começam com um mistério onde todos não o entendem, e no final é desvendado e facilmente explicado.
   Para quem quer uma boa história com poucas palavras que desconhece, esse livro é uma boa opção, ou qualquer outro livro da série.

Pedro Augusto Almeida, 9oD

Diga

Diga que é real
Você e eu,
Aqui e agora.
Diga que é real, meu amor.

Diga que é certo
A noite escura
A chuva, o frio
As palavras sussurradas.
Diga que é certo, meu amor.

Diga que é eterno
O abraço, o beijo
Os sorrisos e as brincadeiras
Por favor,
Diga que será eterno, meu amor.

Diga que é mágico
As manhãs ensolaradas,
As tardes calmas,
O café da tarde e as musicas
Diga que é mágico, meu amor.

Diga que é único
As surpresas,
As trocas de olhares,
A mistura entre o seu calor e meu frio
Diga que é único, meu amor.

Diga que é real,
Certo,
Eterno,
Mágico,
Único.
Diga que é amor.

                                                    Ana Eduarda. 2ª A

The Bullying


Bullying é um termo usado para descrever atos de violência e agreções físicas e verbais. Em 20% dos casos as pessoas são simultaneamente vítimas e agressoras de bullying, ou seja, em determinados momentos cometem agressões, porém também são vítimas de assédio escolar pela turma. Nas escolas, a maioria dos atos de bullying ocorre fora da visão dos adultos e grande parte das vítimas não reage ou fala sobre a agressão sofrida.

Bullying nas escolas: O que fazer?

Este é um tema atual em que tanto os estudantes quanto os pais, assim é grande importância que você saiba mais sobre assunto para não se tornar a próxima vítima ou saber se seu filho está sofrendo com este tipo de violência. Além de ser um problema psicológico, social e físico, este problema presente nas escolas é unido a humilhações e intimidação das pessoas que são mais acomodadas e/ou passivas, pessoas estas que não possuem nenhuma condição de exercer poder sobre um grupo ou determinada pessoa. Para a surpresa de muitos, de acordo com especialistas, os Bullyings não ocorrem apenas em escolas, isto é, a prática deste tipo de violência também se faz presente em outros contextos, como no trabalho, na faculdade e até mesmo em relações entre vizinhos. Para que o Bullying se faça presente em qualquer situação, basta existir um desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas. Em relação aos ambientes escolares, a grande parte das agressões é geralmente psicológica, a qual é resultante através da utilização negativa de apelidos e até mesmo de expressões desagradáveis direcionadas à vítima. No entanto, o bullying não se faz presente apenas através das agressões psicológicas, isto é, verbais, pois as agressões de caráter físico que podem ocasionar em problemas sérios à vitima.

FOTOS:

 



TODOS CONTRA O ''BULLYING''


De: Richard Wendell 2°A